Nada como um dia após o outro.

16/09/2011

No meu segundo dia acordei com olhos de Keroppi e decidi que havia chorado o suficiente, empinei meu nariz e fui me arrumar para o novo dia que começava, decidida a ter um bom dia.

Olhos de Keroppi!

Tomei meu café da manhã no hotel e fui ao SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras), meio perdida perguntei a um senhor idoso onde ficava, ele muito gentil não só me levou até o prédio, como me acompanhou até chegar à mesa correta, achei muito simpático e fiquei agradecida.

A senhora que me atendeu também foi muito educada e gentil, inclusive me elogiou por ter procurado logo o SEF, pois quem vem à Portugal pela Espanha tem apenas 3 dias pra se apresentar. Ela me explicou tudo que eu precisava e de lá segui pra o DRI, mais uma vez conheci uma pessoa simpática que pagou minha passagem de autocarro e ainda me ajudou a encontrar o prédio.

Quando entrei vi vários jovens e um rapaz que veio no mesmo avião que eu desde Recife, eu não acreditei, na hora pensei “não acredito, eu podia ter tido uma companhia essa viagem inteira”e sem perceber eu já estava falando “Ei, você veio comigo desde Recife!!”, o rapaz concordou e de repente todo mundo que estava lá começou a conversar, dizer seu curso etc e tal.

Junto com eles tinha uma menina, chamada Aline, ela já tinha casa e no lugar que ela estava morando tinham 2 quartos vagos, eu prontamente pedi pra ir lá com ela, ver o lugar.

Acabamos sendo atendidas na DRI ao mesmo tempo e de lá seguimos para o Alex Bar onde ela ia fazer a carteirinha de Erasmus, aproveitei e fiz a minha. Essa carteirinha dá vários descontos em vários lugares, junto com ela vem um chip da vodafone gratuito. Detalhe, esse bar é como se fosse uma associação de estudantes, eles fazem vários eventos, é bem organizado.

Lá encontramos os irmãos que estavam antes no DRI, eles seguiram junto conosco pra olhar a casa da Aline. Confesso que a principio pensei “poutz, concorrência pro quarto”, mas conhecer eles foi a melhor coisa que podia ter acontecido. Primeiro porque eu estava super tensa procurando casa, segundo porque a Isabella estava na mesma situação, logo uma confortou a outra.

Subindo as ladeiras pra casa da Aline.

A casa da Aline parecia uma casa de bonecas, linda! Ainda tinha um cachorro grande, manso e cheiroso, era o lugar ideal, o que minha mente imaginava sobre uma “típica casa portuguesa”, mas os dois quartos que tinham estavam reservados e a dona só teria resposta no dia 18, eu precisava sair do hotel o mais rápido possível, fiquei triste. Dava certinho pra mim e pra minha amiga que estava pra chegar, mas a Isabella não podia nem ter esperança, lá só alugavam para um ano.

Combinamos que no outro dia íamos atrás de casa juntas, mas quando liguei pra Isabella o telemóvel dela não estava funcionando. “Putz, e agora?” Depois de muito pensar, resolvi ser ‘cara de pau’ e fui ao hotel deles ver se ela ainda estava lá, encontrei com o irmão dela na porta, mas ela já havia saído, pois o telefone dela não estava funcionando e ela precisava conserta-lo. Decidi que ia tentar resolver alguma coisa e fui ao Alex Bar fazer não lembro o quê. Cheguei lá, estava fechado.

O Alex Bar

Voltei pro hotel a pé, procurando anúncio de arrendamento, nesta altura eu já havia separado alguns no jornal, pra ligar. Peguei alguma coisa que havia esquecido e fui novamente ao hotel dos meus novos amigos (eu havia combinado ir lá ás 13:00). Almoçamos e começamos a sessão de tortura, ligar pros números que haviamos coletado.

Do nada, a Isabella lembrou de um senhor, o Gonçalo que era amigo do irmão dela (ou amigo da namorada do irmão dela.. algo assim), ligamos pra ele e combinamos de ver o apartamento.

Não dá p/ entender na foto, mas esse foi o momento "Mil ligações"

Ficamos felizes e pulantes, dizendo “é esse”, “viva”, principalmente porque era o primeiro apartamento que tinha o maravilhoso número mágico de quartos vagos, três.

Encontramos o senhor Gonçalo (que na verdade é um homem de 30 e poucos anos) conversamos um pouco com ele e fomos ficando cada vez mais felizes, ele super massa, prestativo e tudo mais.

Quando chegamos ao apartamento, a sensação foi de balde de água fria, o lugar tava um horror, sujo, bagunçado, nojento. Eu não queria ficar ali.

Fui triste pro hotel, sem saber o que fazer. Próximo ao anoitecer, ligamos pro Gonçalo e perguntamos se podiamos ficar lá por um mês de teste, pra “ver se gostavamos mesmo do lugar”, ele explicou que um mês não dava, pois ele está indo ao Brasil e precisava resolver isso antes de ir pra lá. Mas, mostrando mais uma vez ser uma pessoa ímpar, ele disse que podiamos ficar no apto por uma semana, pagando 50 euros, uma pechincha, mais barato que um albergue. Aceitamos.

Na dia seguinte saímos cedo do hotel  e ficamos de molho na porta do prédio. Ninguém nos atendia. O Hamilton foi conosco (ele havia chegado no dia anterior!) e nos ajudou com nossas malas gigantes. Tiramos foto, sentamos, conversamos até que finalmente o Gonçalo abriu a porta pra gente.

"Será que ele esqueceu da gente?"

Resolvemos começar a limpar imediatamente e foi quando percebemos que a casa estava muito mais suja do que esperavamos, paramos e saímos pra buscar a minha amiga que ia chegar nesse dia, a Catti.

Nesse meio tempo, conforme as camadas de sujeira iam sendo retirada nós íamos nos apaixonando mais e mais pelo lugar, a vista linda, os ambientes espaçosos sem contar a sala de tv, cheia de filmes e livros. Decidimos, íamos nos instalar permanentemente.

Buscamos a Catti e depois de um tour pelo apartamento ela concordou em ficar conosco. Continuamos a faxina, saímos pra comprar mais produto de limpeza, voltamos pra casa e de repente era meia-noite. Tentamos ligar pra uma pizzaria mas ninguém entregava na nossa freguesia.

Só pra vocês terem uma noção do quão tenso estava a sujeira no apê, eu quase vômitei umas 3 vezes. Ninguém tinha coragem de “usar” a casa do jeito que estava. O banheiro e a cozinha foram literalmente escaldados. Hoje eu penso que o brasileiro mais bagunceiro (oi!) é maníaco por limpeza perto de qualquer europeu.

Uma pequena amostra da sujeira!

Nesse dia dormimos com fome, mas muito felizes, pois finalmente tinhamos um lugar para morar.

Essa vista faz toda faxina no apto valer a pena! E o cheiro? Maravilhoooso, principalmente de manhã 😀

O post de hoje ficou meio grande, mas espero que tenham gostado.

Beijos e até o próximo.

Anúncios

A minha epópeia particular, ou o primeiro dia em Coimbra

14/09/2011

Bom, já estou aqui em Coimbra à 10 dias e fico confusa, pois tem horas que sinto que estou aqui há muito tempo (principalmente quando ainda estava procurando casa), mas há momentos que parece que acabei de chegar e estou sempre me surpreendendo com a beleza da paisagem desta cidade, mesmo que tenha passado em determinada rua várias vezes, de repente surge algo que nunca havia visto antes.

Mas, enquanto agora está tudo belo e divertido, tive meu dia infeliz e foi justo na chegada.

A minha viagem de avião foi muito boa (pra quem não sabe o meu vôo teve overbook e eu fui transferida pra classe executiva sem pagar nada extra), mas em Portugal tudo mudou, no aeroporto comecei a me desesperar, pois a mala de todo mundo chegava, exceto a minha, quando eu estava pra procurar o Achados e Perdidos minha mala surge linda e vermelha na esteira, ufa.

Feliz e contente na classe executiva

Peguei um táxi no aeroporto pra me levar até a estação ferroviária do Porto para eu seguir à Coimbra. O motorista queria me levar direto pra Coimbra cobrando a bagatela de 120 euros, que eu disse não possuir, “tudo bem” ele disse e ficou acertado dele me deixar na estação, mas o espertinho do taxista me levou pro lugar errado e tive que pagar mais pra ir pro lugar correto, tudo bem. No final gastei a pequena fortuna de 25 euros numa corrida de táxi, já fiquei estressada.

Na estação comprei o bilhete do trem e voltei ao balcão de atendimento umas mil vezes até tirar todas as dúvidas, com um pouco de dificuldade encontrei a estação do meu trem e esperei até ele chegar. Quando chegou o responsável pelo trem muito gentil (não!), me explicou como funcionava para embarcar.

Eu arrastei minha mala até o vagão que eu entendi ser o meu, e morri pra levantar ela pelos degraus (acho que era um ou dois) pra entrar no trem, com muita dificuldade fui empurrando as malas, uma na minha frente e puxando a outra por trás pelo corredor de 60cm do trem. Pra alegrar meu dia meu vagão era o último, apesar da minha poltrona ser a número 12, me arrastei por vários vagões com minhas malas pesadas batendo em todos os bancos e travando em todo e qualquer lugar que fosse possível.

Encontrei minha cadeira e chorei. Cansada, com os braços doloridos e um pouco de fome fiquei observando a paisagem correr pela janela. O comboio (trem) parou em Coimbra B e lá eu precisava pegar a “conexão” pra Coimbra A, que fica no centro da cidade, sai arrastando o meu fardo pelo trem e quando finalmente cheguei à porta ela fechou, o responsável pelo trem abriu a porta mas, não sem antes me dar um sermão dizendo que eu devia ter saído antes e isso e aquilo, eu pedi pra ele por favor me ajudar com as malas, muito educadamente ele pegou minha mala de mão (onde estava guardado meu notebook) e muito carinhosamente jogou na estação.

Quando consegui sair do comboio só sentei no chão botei a mão no rosto e chorei, esgotada como eu estava, tudo que eu não precisava era da boa e velha grosseria portuguesa, só conseguia pensar “Meus Deus, o que eu tô fazendo aqui, não sei nem pra onde ir”, graças a Deus, nem todo português é grosso e um funcionário da estação que desci foi me ajudar, perguntou porque eu estava chorando e me ajudou a ir para o lugar certo, onde eu deveria pegar o trem pra Coimbra A, agradeci, porque eu não estava entendendo nada da sinalização e esperei pelo trem, quando ele chegou parecia um trem de terror, entrei e percebi que só existia uma única alma viva no vagão, eu.

Desesperada, comecei a bater na porta do trem pedindo pra sair, mas era tarde e ele começou a se mover, não havia nada a fazer, sentei e esperei. Na primeira parada perguntei “Aqui é Coimbra A?”, e a única pessoa que estava lá (um jovem que ia embarcar no trem que eu estava) disse que sim, ele me ajudou a tirar a mala do trem e eu descobri uma escada escrota pra descer da estação. A maior alegria do dia foi quando eu vi que pra chegar ao hotel era necessário apenas atravessar a rua, foi um alívio chegar à recepção, e tive mais uma explosão de choro quando entrei no quarto.

Tudo que eu queria era ligar pra minha mãe, mas por 2 euros o minutos me dei conta que teria que enfrentar aquela situação sozinha. Sim, eu estava em outro continente sem ninguém para me apoiar. E assim foi o meu primeiro dia em Coimbra (ou primeira noite, já que cheguei ás 20:00 horas).

Antes que alguém venha com “Ain Priscila, e por que você enxerida viajou sozinha??”,  bom a minha resposta pra isso não pode ser publicada neste blog, pois esta é uma página respeitável, mas eu não fui enxerida, simplesmente o visto da minha amiga atrasou e eu não tinha condições ($$$) de adiar a minha passagem, o custo foi passar por esse dia.

Beijos e até o próximo post.

*Obs: Por motivos óbvios, não tenho fotos do primeiro dia. 😛

Correria!

19/08/2011

Oie gente,

Estou tentando cumprir minha promessa e atualizar sobre minha mobilidade acadêmica aqui, mas tô começando a achar que esse blog vai receber uma atualização a cada um zilhão de anos.

Tudo está muito corrido, eu estou sem tempo e paciência pra escrever tudo que acotece, mas, como promessa é dívida, vou cumpri-la :D.

Desde o espisódio anterior (HUAHUAHUA), ok, desde o post anterior, o que tem acontecido na minha vida:

1-      Dei entrada no meu visto;

2-      Vendi meus móveis;

3-      Entreguei a casa que eu morava pra imobiliária;

4-      Viajei pra Manaus;

Bom, dar entrada no meu visto foi praticamente uma desventura em série, tudo que podia acontecer de ruim, aconteceu.

Pra começar, minha pasta com os documentos pra eu dar entrada no visto sumiu de dentro da minha mala, no dia seguinte a Gol encontrou e me devolveu, mas sentiram o drama do meu desespero né?! Saí louca, desesperada com o Rodrigo, tentando tirar a segunda via de tudo.

No consulado, havia levado apenas o imposto de renda da minha mãe (eu havia sido informada que podia levar o imposto de renda OU o contracheque) e descubro que o mais importante é levar o contracheque, quase eu choro. Lá foi o Rodrigo, me salvar e buscar o contracheque da minha mãe.

Felizes "Finalmente conseguimos dar entrada no visto"

Nessa foto, nós estavamos felizes e cansados (esse quadro é lá do consulado). Dar entrada no visto foi um alívio e tanto, agora só falta ele chegar!!

Depois voltei pra Boa Vista, coloquei como meta fazer tudo que tinha em duas semanas e consegui. Saí da casa, empacotei minhas coisas, joguei velharia, remexi no passado, me deparei com a pessoa que eu fui e limpei tudo. Vendi meus móveis e pintei as paredes, paguei as contas e vim pra Manaus.

Aqui em Manaus descansei um pouco e correria de novo, ainda falta eu tomar a segunda dose de umas vacinas (eu esqueci temporariamente delas) e tirar meu cartão Travel, que é como um cartão pré-pago. Comprei roupas novas e básicas, uma necessaire e umas poucas coisas “necessárias-desnecessárias”, alguém me entende? 😛

Bom, sei que está super resumido, mas acredito que esteja tudo aí.

Até o próximo post!

Beijos

Nova etapa da vida

11/07/2011

Olá caros amigos que gostam de xeretar este blog, como vocês estão? Eu estou ótima.

Faz tempo, que não escrevo aqui, estava com saudade desse espaço narcisista que tenho. Agora senti vontade de voltar, pois uma nova etapa da minha vida está começando. Uma etapa, que tenho certeza, muitos dos meus amigos e familiares querem ter notícias e tentarei atualiza-los com frequência.

Como muitos já sabem, alguns alunos e eu vamos fazer mobilidade acadêmica em Coimbra, Portugal. Pra quem não sabe o que é mobilidade acadêmica ela é uma espécie de intercâmbio, faremos dois semestres do nosso curso (meu caso Arquitetura e Urbanismo) lá, e terminaremos o curso aqui.

Para ser sincera, apesar de termos sidos aprovados pelo Grupo Coimbra, ainda não está nada certo e só estará quando estivermos embarcados, até porque cada dia é uma nova aventura, mesmo ainda estando aqui.

Semana passada começou a nossa busca pelos documentos necessários para solicitarmos o visto. Se você pretende fazer intercâmbio ou mobilidade acadêmica, esse é o primeiro e mais urgente passo após a sua aprovação.

Para ir para Portugal, como estudante, é necessário, além dos documentos comuns, a Carta de Aceite da instituição de ensino.

De acordo com o Consulado Honorário de Portugal em Manaus, os documentos necessários são:

Documentos comuns para todos os tipos de visto de residência:

1.    Formulário;

2.    02 fotos 3×4;

3.    Passaporte original e uma fotocópia das folhas utilizadas;

4.    Original e fotocópia autenticada da carteira de identidade;

5.    Certidão de antecedentes criminais da Polícia Civil;

6.    Certidão de antecedentes criminais da Polícia Federal;

7.    Atestado Médico declarando que não é portador de doença infecto-contagiosa;

8.    Seguro Saúde Internacional Privado, ou o PB-4

9.    Comprovante de Moradia

10. Requerimento para consulta do Registo Criminal

11. Cópia do título de transporte de regresso de no mínimo de 120 dias para visto de residência e o mínimo de 90 dias para o visto de estada temporária.

12. Comprovativo da existência de meios de subsistência;

Essa semana eu solicitei a segunda via do meu passaporte, tirei as cópias da identidade, solicitei a certidão da PF, retirei a da PC e tirei fotos 3×4 novas. Além disso regularizei minha situação eleitoral e ainda tomei quatro vacinas (meu braço doeu por dois dias). Espero que até o final dessa semana eu resolva todos os documentos! Estou muito tensa, ainda tenho que resolver a situação da minha casa (de BV), ou seja, empacotar todos os trecos, vender os móveis (sugestão da mamãe, eu não quero), pintar a casa.. ain, ain. Mas isso vai ter que ficar pra depois do visto.

Como vocês devem estar notando, é muita correria, mas sei que vai valer a pena. Espero que tudo dê certo!

Bom, por hoje é só, beijos e até o próximo post.

:**

Obs: Não consegui colocar imagem :(. No próximo eu tento mais!

Papa, can you hear me?

08/08/2010

Feliz da dos pais, para todos os papais :D.

Bom, nessa hora do dia estamos todos, no mínimo, esgotados de tanto comer.

Para esse querido dia, aproveitando que estou de férias e estou com meu papai, acordei cedo e fiz um risoto de Funghi Secchi. Modéstia a parte, ficou um delícia.

Entreguei o presente mais “esperto”do mundo, pois estou usufruindo do mesmo junto com meu papi, aquela caixa de chocolate da Cacau Show, que tem chocolates com várias porcentagens de cacau.

Sei que meu papi está todo bobo, com o seu dia.

E o de vocês?

Estava eu refletindo na minha caixolhinha sobre homenagem aos papais e percebi que nenhuma é tão linda e tocante quanto da cantora Barbra Streisand. A música é do filme Yentl, mas eu só assisti as apresentações de alguns shows de dvd (MGM, Timeless), a cantora canta com sentimentos reais, pois ela não conheceu seu pai. Quando canta parece que está realmente conectada à ele de alguma maneira mística.

Vale ver a música e agradecer por termos nosso pai.

Gostaria de colocar do concerto da MGM, mas infelizmente não achei. Fica o vídeo do filme que nunca assisti.


Beijos e Tchau


Sobre o ano novo

30/12/2009

O ano está acabando minha gente e esse blog coitadinho tá cheio de poeira, há tempos que não recebe um post, mas eu posso explicar.

Acontece que eu perdi minha criatividade. Na mesma bolsa que ela estava também havia sido guardado meu tempo e minha paciência, por isso passei tanto tempo sem escrever. Mas eu não poderia deixar o final de ano passar em branco, pensei em postar um vídeo de natal, mas acabei ficando com preguiça.

Agora fui checar minha correspondência e li um e-mail chamado “Receita de ano novo”, que me ‘acordou’ e inspirou.

Eu particularmente sou uma dessas pessoas que faz listas de fim de ano novo: o que consegui cumprir, o que não consegui, o que devo melhorar e claro minhas metas para o próximo ano. Talvez por isso tenha gostado tanto desse e-mail, me identifiquei. Espero que ‘acorde’ e inspire a todos vocês.

 

RECEITA DE ANO NOVO

 

Para você ganhar belíssimo Ano Novo

cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,

Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido

(mal vivido talvez ou sem sentido)

para você ganhar um ano

não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,

mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;

novo

até no coração das coisas menos percebidas

(a começar pelo seu interior)

novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,

mas com ele se come, se passeia,

se ama, se compreende, se trabalha,

você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,

não precisa expedir nem receber mensagens

(planta recebe mensagens?

passa telegramas?)

 

Não precisa

fazer lista de boas intenções

para arquivá-las na gaveta.

Não precisa chorar arrependido

pelas besteiras consumadas

nem parvamente acreditar

que por decreto de esperança

a partir de janeiro as coisas mudem

e seja tudo claridade, recompensa,

justiça entre os homens e as nações,

liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,

direitos respeitados, começando

pelo direito augusto de viver.

 

Para ganhar um Ano Novo

que mereça este nome,

você, meu caro, tem de merecê-lo,

tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,

mas tente, experimente, consciente.

É dentro de você que o Ano Novo

cochila e espera desde sempre.

 

Carlos Drummond de Andrade

 

Que o ‘Ano Novo’ acorde todos os dias, a partir de hoje. E é isso que significa o “réveillon” que nós adoramos usar. Apesar de hoje o “réveillon” ser mais utilizado como designação de festa de final do ano, ela se origina do verbo pronominal francês “se réveiller”, que significa despertar, na terceira pessoa do plural, “nous nous réveillons”, ou seja “nós despertamos”, ou “nós acordamos”.

É isso que desejo amigos, para todos nós.

 

Um bom despertar.

Um dia frio, um bom lugar pra ler um livro..

31/10/2009

Essa semana nós tivemos dois dias atípicos aqui em Boa Vista, em pleno verão dos infernos, dois dias de chuva, com o céu nublado durante todo o dia depois que parou de chover e ventos verdadeiramente frescos.

Esse tempo maravilhoso dá vontade de:

– Dormir loucamente

– Não sair da cama

– Ler livros

– Não sair da cama

– Ver filmes

– Não sair da cama

bebezinho-fofo

As desvantagens e vantagens desses dias “frios”

 As vantagens: primeiro nós não ficamos suando feito porcos, o perfume dura o dia inteiro, a água do chuveiro fica verdadeiramente gelada, nossos rostos não ficam oleosos e é possível andar na rua a pé sem a sensação de estar sendo torrado. O dia fica agradável pra passear na rua apesar da falta de vontade de sair de casa.

 Desvantagens: vocês já repararam como fica todo mundo levemente “deprê” nesses dias de “frio”, na faculdade quinta-feira, estavam todos com caras tristes e/ou fechadas, provavelmente por se ver obrigado a sair de casa num dia tão bom para o ócio. Outro problema e que fica todo mundo carentinho, com vontade de ficar abraçadinho, mas o máximo que tem pra abraçar é o travesseiro ¬¬ (no caso das pessoas solteiras). Triste.

nenezinho

 De qualquer maneira vamos aproveitar esses dias agradáveis, daqui a pouco estaremos reclamando do calor infernal, tomando mil banhos por dia mas sempre com a sensação de sujeira.

 

Beijos e Até mais

 

E acabou a farra

16/10/2009

De volta as obrigações do dia-a-dia, depois do curto feriado, levemente esticado. :p
Espero que tenham aproveitado.
Pra quem está estranhando o blog está abandonado, é porque eu ando sem criatividade mesmo. :X

De volta a Boa Vista amiguinhos, fazer o que hoje?

Beijos e até mais.

À Mercedes Sosa

05/10/2009

Minha pequena homenagem a essa mulher que marcou com a sua voz a vida de tantas pessoas, uma voz marcante, profunda,que cantava com a alma, com o coração. Nos emocionava com as suas canções. Cantava sobre seus sentimentos, cantava sobre a sociedade. “A voz da America Latina”.

Quantas vezes eu ouvi (muitas delas obrigada) “Gracias a la Vida”. Minha tia, Tê, não pode beber, que precisa ouvir e cantar “Gracias a la vida”, uma vez minha irmã escondeu o cd dela, porque não agüentava mais, coitada.

Mas eu sempre agüento ouvir repetidamente Mercedes Sosa.

Não tenho certeza se gosto dela pela música, ou se é pelas lembranças que a música trás, lembranças da minha família, com a minha tia cantando toda vermelha “Graaaacias a la vida, que me há dado taaanto”. Guardo com carinho essas lembranças “Priscila, presta atenção ao que ela diz”, “pode deixar tia”.

A verdade é que muitas das músicas que eu gosto eu conheci pela tia Tê, lembrem-me de agradecê-la.

“Gracias a la vida que me há dado tanto

Me há dado la risa y me há dado el llanto

Así yo distingo dicha de quebranto

Los dos materiales que formam mi canto

Y el canto de ustedes que es el mismo canto

Y el canto de todos que es mi próprio canto”

Vá em paz “La Negra”

 Mercedes Sosa 09/07/1935 – 04/10/2008

Surpresas, a vida é cheia delas.

24/09/2009

Eu estava dormindo quando o telefone toca:

 DIIIIIIING

Eu – Nhalô – eu estava dormindo lembrem-se

Fulana – Priscila aqui é a Fulana do IEL eu estou te ligando porque você precisa vir aqui receber seu prêmio.

Eu – Prêmio? Mas que prêmio?

Fulana – Do BITEC 2008 que você ganhou.

Eu – Mas o prêmio não era o artigo e a viagem pro lugar onde ia ter a premiação nacional?

Fulana – Não, deixa eu ver aqui. É “X” reais, tu precisas passar aqui com a Telma

TUMFF (Cai da cama)

Eu – Não to entendendo e a viagem??

Fulana – Não sei, tu tens que passar aqui com a Telma.

Falou em dinheiro acordei mais que tudo e em 15 minutos eu já estava pronta e arrumada.

Fui lá com a Telma e ela me explicou. A premiação nacional, que devia acontecer por agora vai ser feita junto com a turma de 2009, pois o BITEC esta com problemas de verba, então pra economizar dinheiro, vai ser feita uma só para os dois anos (eles sempre fazem isso quando precisam poupar verba, de acordo com a professora Telma, responsável pelo programa do BITEC aqui em Roraima), ou seja, a premiação vai ser em 2010. Mas como eles precisam passar todos os prêmios da turma de 2008 em 2009 eles estavam  me entregando o tal do prêmio.

A questão é que os vencedores só descobrem o premio na tal premiação nacional, mas como aconteceu isso que eu expliquei (da verba), eles estavam entregando hoje. Tuuuudo bem por mim 😀

Pra ilustrar, esses prints da apesentação :)

Pra ilustrar, esses prints da apesentação 🙂

Eu nem sabia que esse prêmio existia, quando a gente se inscreve no BITEC, tudo que a gente quer é a Bolsa de Pesquisa, então todo mundo fica mais feliz que petiz no chafariz por receber uma graninha todo mês pra fazer um projeto sobre algo relativo ao seu curso. Depois fiquei mais contente ainda, quando fiquei em primeiro lugar e ganhei a oportunidade de escrever um artigo que vai ser publicado num livro e agora ainda tem prêmio em dinheiro?! VIIIIIIIVA.

O engraçado é que eu nem lembrava mais de BITEC, só estava curiosa em relação a tal viagem que não chegava nunca, mas tudo bem.

Eu espero que alguma amiga minha ganhe o de 2009 (pra viajarmos juntas). Ai sim vai ser massa. 😀

O engraçado é que até ano passado eu nunca havia ganhado nada, nem tupperware em sorteio e esse ano estou ganhando um monte de coisas (tá que até agora foi tudo relativo ao BITEC).

Mas as surpresas da vida são engraçadas não é?!

Ontem quando eu fui dormir só tinha o dinheiro pra pagar as contas (e um pouquinho que ia ter que durar o mês :X), hoje quando eu acordei tenho até dinheiro NA conta. Hehehehe

Beijos e Até mais